05/09 - Domingo 17h

678 Trio | Aluízio Pontes, Caixote e João Parahyba

Aluizio Pontes (piano), Marcos Pontes “Caixote” (piano) e João Parahyba (bateria)

O “678 TRIO” é um trio formado por três grandes músicos que tem reconhecimento internacional. Aluízio Pontes – Piano, Marcos Pontes Caixote – Piano, João Parahyba – Percuteria. O trio traz um show repleto de swing e improviso que leva todo público a uma deliciosa viagem através da música instrumental e de suas histórias.

Aluízio Pontes

Integrou o Sambalanço Trio, sendo o substituto do grande Cesar Camargo mariano. Acompanhou nomes da música popular brasileira como: Johnny Alf, Flora Purin, Agostinho dos Santos, Nélson Gonçalves, Adoniram Barbosa, Vicente Celestino, Elizete Cardoso, Alaíde Costa,  Cauby Peixoto, Nelson Ned, Simonal, Cláudia, Célia, Jair Rodrigues, Benito di Paula, Maysa e Miele.

João Parahyba  

Começou a tocar em 1969 no Jogral e no mesmo ano formou o Trio Mocotó. Com esse trio, acompanhou Jorge Bem e a dupla Toquinho e Vinícius, gravou com Chico Buarque, Martinho da Vila, Paulinho da Viola e Ivan Lins. Em 1973 desligou-se do trio e afastou-se da música.

Em 1980 voltou aos palcos como percussionista no show Novo Tempo, de Ivan Lins. Desde então, construiu uma respeitada trajetória, participando de projetos, como Prisma/Ponte das Estrelas de Cesar Camargo Mariano, e tocando com artistas nacionais (Toquinho, Ivan Lins, Sivuca, Heraldo do Monte, Paulinho Nogueira, Dory Caymmi e Nivaldo Ornelas) e internacionais, como Michel Legrand, Paul Horn, Dizzie Gilespie e Seigen Ono entre outros.

Marco Pontes “Caixote”

Com apenas oito anos de idade, Marco Pontes “Caixote” iniciou sua trajetória musical ao piano por influência do pai, o maestro Aluísio Pontes. Quatro anos depois, aos 12, foi convidado a trabalhar com Aluísio e aos 16 se tornou maestro.

Caixote ainda expandiu sua atuação e em quarenta anos de música atuou como arranjador, instrumentista, compositor e produtor. Se notabilizou como músico super requisitado dentro e fora do Brasil e se apresentou em algumas das maiores casas de espetáculos do mundo, como o Madison Square Garden, em Nova Iorque.

O maestro tem passagens por países de todos os continentes, tais como Angola, China, Portugal, EUA , África do Sul, Holanda, dentre outros.